Portuguese
ptes
Blog

Portaria autônoma e remota: qual a diferença e como elas podem te ajudar

Quinta, 22 Abril 2021 Quinta, 22 Abril 2021
Compartilhe

Descubra o que são portaria autônoma e portaria remota, suas vantagens e como elas podem trazer mais segurança e otimizar o atendimento no dia a dia da central de monitoramento.

A segurança e a facilidade de acesso são pontos essenciais em um imóvel, seja ele comercial ou residencial. Dessa forma, a portaria é o fator que mais exige atenção do responsável pelo gerenciamento das unidades: seja ele o síndico, imobiliária ou outro profissional. 

O controle de entrada e saída de pessoas através da portaria garante o fluxo correto de idas e vindas, de entregas e que nenhum criminoso invada o local.

Como solução a essa questão, a alternativa mais comum é a portaria orgânica. Entretanto, sozinha, ela pode gerar um custo de operação muito alto e alto índice de falhas. Afinal, precisa de operadores ou porteiros 24 horas.

Existem, então, duas alternativas: a portaria autônoma e a portaria remota, que podem, inclusive, serem integradas e usadas em conjunto com a orgânica, o que chamamos de portaria híbrida.

O que é uma portaria autônoma?

A portaria autônoma, resumidamente, funciona da seguinte maneira: o visitante chega até o imóvel e aciona o interfone instalado para chamar o apartamento desejado. 

Após isso, uma chamada será enviada para o aplicativo do morador e então, ele conseguirá visualizar por uma chamada de vídeo, através da câmera de segurança, quem está na entrada interfonando. E caso nenhum morador cadastrado naquela unidade atenda a chamada, o evento é encaminhado à central de monitoramento para realizar as tratativas. 

Um questionamento comum é referente a moradores sem muita familiaridade com tecnologias digitais, e isso se resolve fácil, já que a chamada pode ser automaticamente convertida em uma ligação telefônica, sem precisar que o usuário saiba utilizar um aplicativo, por exemplo, em caso de idosos.

Há ainda a possibilidade da utilização de convites digitais, que podem ser enviados previamente pelos moradores, com data e horário marcados para a liberação dos visitantes.

Outra grande vantagem é que, devido ao controle feito por vídeo chamadas através do aplicativo, o morador não precisa estar na residência para liberar o acesso ao local.

Ao adotar essa solução, o condomínio otimiza o atendimento e diminui a necessidade de gastos com pessoal, risco aos colaboradores, que ficam expostos a ação de ladrões em portarias convencionais.

O que é uma portaria remota?

A portaria remota, por sua vez, realiza o controle de acesso sempre por meio de uma central de monitoramento, onde o processo de liberação e autorização de moradores, visitantes, funcionários e prestadores de serviço é feito por meio de um software de segurança integrado com os sistemas de alarme, videomonitoramento (VMS) e muitas vezes, um software de B.I, para o auxiliar no gerenciamento das atividades.

A identificação para acesso ao edifício é feita por meio de tags ou dispositivos de identificação tecnológicos, como QRcode, leitores digitais, faciais e controles RFID. A tecnologia também possibilita o controle e registro do fluxo de entrada e saída do edifício de forma ininterrupta.

Como os controladores estão em uma central remota, os riscos relacionados às falhas humanas nas portarias são minimizados, pois não há o contato direto do profissional com estranhos e visitantes não autorizados.

Ao disponibilizar um sistema que integra software e hardware, a transferência dos dados para a central passa a ser realizada em tempo real e as imagens e informações dos acessos ficam armazenadas na plataforma e disponíveis aos usuários com autorização, se necessário. 

Além disso, o sistema fornece ao gestor  um relatório completo com os fluxos de acesso ao condomínio.

Dessa forma, o responsável terá conhecimento da quantidade de visitantes no edifício em determinado período, e poderá avaliar informações como quantas vezes o portão eletrônico foi aberto, quanto tempo durou o processo de entrada, além de todo o controle dos locais onde o visitante tem ou teve acesso.

Redução de custos, otimização e gerenciamento

Com aplicação da tecnologia em ambos os casos, o número de atendimentos feitos pela central de monitoramento será muito menor, restando apenas eventos em que o morador não atenda por conta própria, arrombamento, alarme, etc. - o que diminui em cerca de 90% os custos da operação.

Há ainda a possibilidade de melhor controle e gerenciamento dos fluxos de entrada e saída, seja de quem for. Dessa forma o responsável pode analisar e identificar possíveis problemas no processo e corrigi-los de maneira mais assertiva.

Certamente os dois sistemas podem trazer benefícios para a sua empresa e ao seu negócio.

Ficou com alguma dúvida ou quer saber mais sobre essas soluções? Você pode entrar em contato com a Scond através da nossa central, por telefone, redes sociais ou e-mail. Fale conosco!

Dúvidas? Fale Conosco

Venha nos Visitar

Rua Belarmino José da Silva, 42, Sala 02
Ipiranga, São José/SC
CEP  88111-390

Ver Mapa